22 de ago de 2010

Diário de Viagem - Dublin, enfim!

Dormi cedo (umas 10 da noite). Levantei umas 7 e meia. Queria ter levantado mais cedo, mas o cansaço era maior. De qualquer forma, cedo o suficiente para ver um dia lindo de sol. Quase não acreditei, pois a previsão era de chuva. Entretanto, fez sol durante todo o dia. Mas quando virou, por volta das 18 horas, choveu (fraquinho), mas esfriou muito!

Fui para o ponto de ônibus depois de tomar café na cantina do alojamento - só café, porque bagel foi só no primeiro dia, para só repetir se realmente não houver outra opção. O caminho para o ponto (a estrada fica a uns cinco minutos de distância, mas eu levei uns dez, só admirando a beleza do dia e do lugar) é lindo. Se não fosse o asfalto e os prédios, poder-se-ia dizer que era cenário de filme de conto de fadas... Bem, as fotos falam por si:

Pátio interno do conjunto residencial onde estou

Outros conjuntos residenciais da DCU

O caminho para a estrada principal; eram 8h30

Uma árvore incrível, em um dos jardins da DCU

De outro ponto, com o prédio ao fundo (não sei
que departamento que é, mas pertence à DCU)

Mais uma vista

O lugar é cheio de árvores lindas

Mais um pouco...

Parece ou não uma coisa sobrenatural, essa luz?

Chegando à avenida

Vista em direção à cidade

Como não conhecia a cidade, resolvi seguir a orientação de minha amiga Karina e peguei o ônibus que passa pelas principais atrações turísticas, só para ter um "panorama" da cidade. Acreditem, isso ajudou bastante. A seguir algumas fotos tiradas do ônibus, mas sem legenda, porque fiquei me maravilhando com a paisagem e não anotei o que o motorista/guia falava.




O rio Liffey, que corta a cidade

Fachada do Trinity College
passaram por aqui: Jonathan Swift, Oscar Wilde,
Samuel Beckett, Bernard Shaw...


St Patrick

Museu de Dublin e Christ Church

idem

Guinness - marca inseparável da cidade...
o complexo é gigantesco...

A corte, prédio redondo ao fundo, foi inaugurada
em novembro passado. O prédio é feio...

Entrada do Phoenix Park, o maior parque urbano
do mundo...

ainda não sei o que é; quando for lá, descubro

A avenida passa por dentro do parque





A agulha de Dublin, na O'Connell St.
Aqui começou minha caminhada

Estátua de James Joyce, o mais ilustre dublinense

Um pouco mais da O'Connell, principal rua de Dublin

Monumento a O'Connell

Vista da Liffey Bridge a partir da O'Connell Bridge

Barberaria

Forbidden Planet, para os que adoram quadrinhos,
sci-fi e memorabilia de séries e desenhos

Liffey Bridge, a mais antiga ponte para
pedestres (séc XIX)

Merchant Arch, em Temple Bar

De perto: lojinhas interessantes...
leva direto ao coração de Temple Bar

Uma feirinha sendo montada - livros, cds, dvds,
broches, todo tipo de coisa... muito divertido

Wall of Fame, em Temple Bar

Temple Bar, que é um bairro, data de 1707. Foi batizado assim em memória de Sir William Temple (1554-1628). Um "Bar" era o nome de um caminho próximo a um rio; a passagem ao lado do Liffey usada pela família Temple passou a ser chamada de Temple Bar...

Ainda Temple Bar

Irish Film - a companhia de filmes da Irlanda

George's Street Great South

Loja de casas de boneca

Entrada de St Kevin's Church, em Camden Place.
Há só um jardim com as ruínas de uma pequeníssima
igreja medieval, totalmente tomada pelas plantas...





O prédio me chamou a atenção.
Estava a caminho de St Patrick

Entrada principal de St Patrick's Cathedral, a maior
e mais antiga da Irlanda...



Detalhes do chão da catedral

O túmulo de Jonathan Swift, que foi deão da catedral

Algumas curiosidades sobre ele...
como era muito asseado, tomava banho com frequência
isso, associado a exercícios físicos, fez com que vivesse
mais do que a média de seus contemporâneos...

Existem aquecedores como este, enorme, espalhados
por toda a catedral. Frio não é motivo para não
frequentar a igreja...

Um dos muitos vitrais - não deu para fotografar bem,
porque tem muita luz...



St Patrick, padroeiro da Irlanda














Vista principal de St Patrick's

Interior do Cathedral Café, onde almocei.

Uma janela...



Museu de Dublin e Christ Church

Igreja de St Audoens












Ainda tem mais coisas para postar, mas já está tarde e eu preciso dormir.

Bem, vou tentar terminar esta postagem de ontem (já é terça-feira), porque a de hoje é muito interessante.

A fonte

Não é um túmulo, apenas a tampa, colocada
nesta igreja para preservação. Ela fica no
espaço da torre, que se vê do exterior, que fica no
fundo da igreja.
As figuras são um nobre cavaleiro e sua esposa. O sobrenome
Fitzeustace revela que o cavaleiro era descendente
de franceses, pois a partícula Fitz não vem do alemão, mas
sim do francês "fils" (filho), ou seja, filho de Eustace.

Um detalhe interessante sobre o relevo: sob os pés do cavaleiro encontra-se a figura de um cachorro, significando que o cavaleiro foi extremamente fiel ao rei. Já sob os pés de sua esposa encontra-se um pergaminho, que significa a esperança da ressurreição.

A "ponte" que liga St Mary's a Christ Church.


Christ Church

Há uma diversidade muito grande de estilos
arquitetônicos em Dublin. Alguns são bonitos,
alguns pitorescos, outros estranhos etc.

Entrada para o Castelo de Dublin.

Que é, na verdade, uma colagem feita aos poucos,
através do tempo, de diferentes estilos. A torre é, de
fato, a parte mais antiga, mas existem partes que datam do século XVIII.

Entrada para o pátio interno

Uma das minhas fotos preferidas

O pátio e os prédios que o circundam.

Detalhes...

Interior da capela do castelo, que é o prédio que fica fora do pátio, grudado na torre.

O órgão, decorado com motivos celtas

Visto do altar

Nicho na parede, onde cai a água benta...

O teatro Olympia, em frente à entrada do castelo.

O campanário do Trinity College.

Antiga igreja de St. Andrews, hoje Centro de Informações Turísticas

Trinity College

Trinity College

A gaivota de Trinity College 1

A gaivota de Trinity College 2

A gaivota de Trinity College 3 - nào tinha nada de interessante por aqui mesmo...

As arvores daqui me impressionam - são sempre enormes.

Mais uma no Trinity College

Ainda não consegui entrar na biblioteca para ver o Book of Kells, mas amanhã eu vou...

Quatro andares de livros e uma seção especializada em língua e literatura irlandesas.

Biblioteca Nacional

Museu de Heráldica

Museu Nacional

Cemitério Huguenote; havia uma igreja ao lado, mas foi demolida. Ficou só o cemitério.



E assim terminou meu primeiro dia de passeio em Dublin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário