9 de ago de 2010

Diário de viagem - Adeus, Paris...




Bom...

Não dá para falar muito sobre os três lugares impressionantes que visitei no sábado. Às 9 da manhã abandonamos Paris - eu, Philippe e a filha de sua prima, Aurore (tente falar "Orrórr", com os erres bem puxados e verá o quanto é difícil falar o nome dela em francês - ficou Aurora, mesmo) - rumo ao interior, mais precisamente a sudeste de Paris, na comuna de Maincy (50 Km de Paris). Fomos visitar o palácio que inspirou a construção de Versailles: Vaux-le-Vicomte. Construído por Nicolas Fouquet, Superintendente do Rei Luis XIV, so século XVII. Vítima da inveja, do ciúme e da traição daqueles que considerava seus amigos e, principalmente, do imaturo rei da França (Luís XIV contava, então 22 anos), não chegou a usufruir de sua residência pois, depois de um julgamento injusto em que fez sua própria defesa e o teria condenado ao exílio, o ciúme e a inveja do jovem rei eram tão corrosivas que este o desejava morto mas, não conseguindo corromper os juízes, setenciou-o à prisão perpétua.

Vista do palácio a partira da estrada. À direita ficava a cavalariça,
para guardar cavalos e carruagens.

Vista do palácio a partir do pátio interno.

Vista do jardim do palácio a partir da torre da cúpula.
No fim do jardim há a estátua de Hércules.
Do palácio até a estátua são 600 metros de distãncia.
A largura é de 150 metros.
Os arabescos são típicos dos jardins franceses da época.

Parada na lanchonete do jardim para o almoço.
Salada com presunto e queijo, sanduíche de 
frango grelhado com molho curry e o tradicional
suco de maçã produzido artesanalmente e que
é uma delícia.

Detalhe de uma das esculturas do jardim.

O castelo visto a partir do lago central.

E, aqui, a partir do espelho d'agua.
Em um dia sem vento e em horário propício, seria possível
ver o palácio refletido aqui. Infelizmente eu não tive essa sorte.


O projeto se estende muito além do jardim. De cada lado existe um bosque de plátanos, alguns com mais de cem anos (de tempos em tempos o bosque precisa ser reflorestado, pois as árvores vão morrendo).

Em seguida nós fomos para a vila medieval de Provins. No caminho passamos por Champoux, onde nos deparamos com essa pequena preciosidade:

Uma igreja medieval, no meio de uma vilazinha minúscula.

Uma perspectiva da rua.

Uma das laterais da igreja.

O vão central, com o coro e, no fundo, o altar.

Detalhe dos assentos do coro, esculpido no século XVI.

A prefeitura, que fica em frente a igreja.

A estrada para Provins.

A vila de Provins

Eglise de St Quiriace vista da torre da cidade

A torre

Tour César - século XII

Interior da Igreja de St Quiriace

As muralhas de Provins

O pôr-do-sol em Provins (21h30)

Mais vem depois. Preciso almoçar...

2 comentários:

  1. Amigo Flávio!!! Fico impressionada com seu olhar! E felissíssima por você estar desfrutando ao máximo sua viagem! Que fotos! Que lugares! Que momentos! Até tirei Paris da minha lista, por enquanto, rsrsrsrsrs prefiro reprogramar para dedicar-lhe exclusividade. ;)
    Obrigada por nos manter a par dessa sua realização!
    Continue curtindo muito enquanto vibramos por ti daqui.
    bjssss
    Pris

    ResponderExcluir
  2. Provins é realmente uma cidade linda! Fui lá no domingo passado, que foi o único dia do ano que o Convento das Cordelières abre.
    Ótimas fotos!
    Irani

    ResponderExcluir